ANA BOLA

SEM FILTRO

UM MONÓLOGO. SEM FILTRO. SEM MEDO.

Um monólogo. Uma actriz, Ana Bola. Com 40 de profissão, fez teatro, fez televisão, foi autora de séries de sucesso, apresentadora de programas, jurada de concursos, etc.. Aos 62 anos de idade vê-se confrontada com falta de trabalho, apesar de continuar no activo, em forma e acarinhada pelo público. Apresenta propostas, tem reuniões com as direcções de programas, mas não consegue ver nada aprovado. Restam-lhe os castings de um programa de talentos. É-lhe pedido que faça desde dança a culinária, passando por ballet clássico ou até por números de circo. Ainda que de uma forma ligeira e bem-disposta, o espectáculo procura uma crítica directa e sem papas na língua a uma realidade gritante: a total falta de respeito pela arte, pelos artistas e pelo trabalho sério, que é substituído por atentados ao talento e à experiência. O que resulta na ascensão a vedeta da total ausência de talento. Este monólogo chama os bois pelos nomes. Sem filtros. Sem medos.

FICHA TÉCNICA

Autor: Ana Bola

Encenador: António Pires

Interpretação: Ana Bola

Voz Off: Alexandra Rosas, Júlio Isidro e Manuel Marques

Direcção Técnica: Paulo Santos

Produtor: Duarte Nuno Vasconcellos

Director de Produção: Ruy Malheiro

Assistente de Produção: André de La Rua

Produção p/ digressão: Buzico! Produções Artísticas 

outros espectáculos!

You see

things;

"you say why!"

but i dream things that never were

and i say

"why not?"

bernard shaw