A CANTORA

CARECA

TEATRO DO VÁCUO TOTAL

Em A Cantora Careca, a pequena obra-prima do vácuo total, do teatro vocabular ou das “mil maneiras de não dizer nada”, Ionesco sublinha com um grosso traço caricatural o fatalismo da alteridade dos indivíduos.
É todo o individualismo orgulhoso de um ciclo civilizacional que agoniza neste teatro à primeira vista inocente, onde a palavra surge privada do seu conteúdo psicológico; ela deixa de ser um meio de comunicação para ser um objecto em si, monstruoso e cómico.

FICHA TÉCNICA

Autor: Eugène Ionesco

Encenador: colectiva

Interpretação: Alexandra Sargento, Andresa Soares, Fernando Rodrigues, João Cabral, João Gualdino e Sofia Brito

Desenho de Luz: Paulo Santos

Espaço Cénico: Tânia Franco

Figurinos: Tânia Franco

Design Gráfico: Paulo Cruz

Produtor: Duarte Nuno Vasconcellos

Directora de Produção: Clara Artur

Assistente de Produção: Ricardo Brito Diniz

Produção: Buzico! Produções Artísticas

outros espectáculos!

You see

things;

"you say why!"

but i dream things that never were

and i say

"why not?"

bernard shaw